Coisinha Verde Games

Quem somos?

A Coisinha Verde começou em 2000 como um site de adaptações e brincadeiras com outros sistemas de RPG. Um grupo de amigos do mIRC do canal #RPG_&_MAGIC do servidor via-rs, em uma brincadeira acabaram criando um monstrinho submarino verde que apelidamos de "Coisinha Verde". O site era cuidado por Tiago Junges e com o tempo todos outros amigos foram largando a brincadeira (seja por namoradas ou faculdade) e apenas Tiago continuou. Tiago já havia criado dezenas de sistemas, um até que usava para narrar aventuras de RPG no mIRC, mas foi em 2004 que decidiu criar um sistema bem simples e direto, que lembrasse sua saudosa epoca de AD&D. Sua insatisfação com outros sistemas fez com que visse que os jogos tinham "complicações sem necessidade", e todo grupo necessitando de House Rules precisava de um sistema que facilitasse esse processo. Foi assim que nasceu o Mighty Blade!

Mighty Blade foi sucesso nos chats de RPG, principalmente com a gurizada mais nova. Tiago não tinha grande pretensão com seu jogo, e por isso que liberou seu sistema gratuítamente. Mas com a resposta muito positiva do jogo, decidiu se dedicar a ele e produzir mais materiais e suporte. O site Coisinha Verde cresceu e agora possuia um sistema generico para o Mighty Blade chamado Legends. O tempo foi passando e o sistema mudava quase toda semana. Tiago fez playtests em chats e em mesas com diversos grupos de amigos. Narrou em eventos e com o tempo o jogo foi ficando mais firme. Os outros sistemas ainda faziam parte dos jogos de Tiago, e além do D&D, o grupo experimentava sistemas desconhecidos (os chamados Indies).

Foi em 2008 que depois de uma série de decepções com outros sistemas que Tiago Junges decidiu remodelar o Mighty Blade e dar um foco maior ao jogo. Então nasceu a versão 2.0 do jogo. Na epoca o título ficou Mighty Blade II, mas devido a possibilidade de publicação o nome foi posteriormente mantido apenas Mighty Blade. Esta nova versão tornava o jogo ainda mais dinâmico e semelhante aos RPGs clássicos (já que a versão 1 não possuia classes e níveis). Seus tabûs como o "Dano Fixo", "Nivel até 10", "Apenas 4 atributos" e "Inexistência de Perícias" faziam os foruns serem bombardiados de "haters" e pessoas querendo "melhorar" o sistema. Mas o sistema se manteve e Tiago começou a produzir em 2009 a revista digital Dragon Cave, uma revista em PDF gratuíta vontada a suprir as necessidades dos fãs do sistema. Com aventuras inéditas, adaptações, raças e dicas para jogar RPG.

Em 2009 Tiago Junges produziu manualmente 20 manuais do Mighty Blade para levar a primeira RPGCon em São Paulo. Foi arriscado, e apesar de escutar muitas criticas e deboches, conseguiu vender todos os 20 exemplares. A opinião do povo naquela época ainda era a de que "não se precisa de um novo sistema", e a crítica aos produtos nacionais era grande. Foi um grande obstáculo, mas que não desanimou seu criador. A revista seguia regularmente todo mês e ficou assim até o outro ano.

Haviamos conquistado um grande número de fãs e em 2010 finalmente conseguimos juntar recursos e produzir a primeira versão impressa do Mighty Blade. Fomos a todos os eventos, desde RPGCon em São Paulo, Animextreme aqui em Porto Alegre e World RPG Fest em curitiba. A cena dos RPGs independentes começou a surgir e não estavamos mais sozinhos. Tiago Junges produziu mais e mais jogos e sempre largando gratuitamente na internet. Foi então que conheçeram o Financiamento Coletivo. Esta seria a oportunidade para alavancar jogos que não tinhamos como produzir. O jogo de cartas recentemente criado seria perfeito, mas ainda tinha muito que melhorar.

O jogo de cartas tinha a mesma proposta do RPG Malditos Goblins (2009) também criado por Tiago Junges. Junto com seu irmão, o ilustrador Bruno Henrique Junges, seu jogo possuia todo o potencial para seu mais um sucesso. O jogo levou mais de um ano para ficar pronto e passou por muitos playtestes e alterações (algumas realmente grandes) para conseguir se tornar o que é hoje. Em 2012 então abrimos o financiamento do Card Goblins, e foi um estouro. O jogo foi financiado na primeira semana e arrecadou quase 11mil reais. O jogo então ganhou muito mais destaque depois de pronto quando todos estavam jogando.

Em 2012 também conseguimos publicar o tão aguardado suplemento para Mighty Blade: Monstrum Codex. E a nova tiragem do manual do Mighty Blade, agora com nova capa, habilidades revisadas e regras reescritas. Em 2013 o RPG Advanced Malditos Goblins saiu, ampliando as variedades e maluquices já existentes do velho Malditos Goblins.

Página principal